Arquivo da categoria: Judaísmo

Judeus, Israelitas ou Hebreus?

Judeus, Israelitas ou Hebreus?

Os antigos hebreus (descendiam de Éber, ou עברים, ʿIvrim hebraico transliterado) foram um povo semítico da região do Levante, localizado no Oriente Médio.

O nome “hebreus” vem do hebraico “Ivrim”, que significa “descendentes de Héber”. O livro de Gênesis, capítulo 10, a partir do versículo 21 diz que Noé gerou a Sem; este gerou a Arfaxade, que gerou Salá, que gerou HÉBER; este gerou a Pelegue, que gerou Reú, que gerou Serugue, que gerou Naor, que gerou Terá, que então gerou a Abrão (que significa “pai exaltado, mais tarde tendo seu nome mudado pra Abraão (que significa “pai de muitas nações), sendo este considerado o patriarca do povo de Israel.

Judeus, Israelitas ou Hebreus?

Na verdade os três termos correspondem ao mesmo povo. Hebreus, israelitas e judeus são nomes dados ao povo que na Bíblia é descrito como povo “escolhido de Deus”.

Hebreus: É o nome que se aplica a Abraão e seus descendentes. Abraão Abraão é o patriarca desse povo, e a primeira pessoa na Bíblia a ser chamada de hebreu.

“Porém veio um, que escapara, e o contou a Abrão, o hebreu…” (Gn 14. 13).

O povo de Deus era conhecido como Hebreus desde Abraão até o momento em que Deus mudou o nome de Jacó, filho de Isaque para Israel.

Israelitas: Após o encontro de Jacó, filho de Isaque, com Deus, Este lhe mudou o nome para Israel, e a partir daí esse povo também começou a ser chamado de israelitas. Isso se deu com os descendentes dos 12 filhos de Israel (Jacó), que geraram as 12 tribos de Israel. Até aqui existem dois nomes para o mesmo povo (hebreus e israelitas).

Judeus: Muito tempo se passou e depois que o povo (hebreu/israelita) voltou do cativeiro, a maioria dos que voltaram era da tribo de Judá, e começaram a chamar esse povo de judeus.

O termo “judeus” também designa os seguidores do judaísmo (religião).

Hoje, os descendentes que ainda restam desse povo são comumente chamados de judeus. Os nomes hebreus e israelitas são pouco usados em nosso tempo.

Anúncios

circuncisão, o que significa e pra que serve!

brit-mila-circuncisao.jpg

O que significa

circuncisão?

Para que servia? 

O Dicionário Houaiss define a circuncisão como a “retirada cirúrgica do prepúcio, praticada por razões higiênicas e/ou religiosas”.As “razões religiosas” têm suas raízes no primeiro livro da Bíblia. A lei da circuncisão foi dada a Abraão quando ele tinha 99 anos de idade. Deus associou a circuncisão a duas das grandes promessas:

 Ele faria uma grande nação dos descendentes de Abraão, e

 Daria-lhes uma terra como herança.

Deus mandou que Abraão e seus descendentes guardassem a aliança da circuncisão: “Todo macho entre vós será circuncidado. Circuncidareis a carne do vosso prepúcio; será isso por sinal de aliança entre mim e vós” (Gênesis 17:10-11).

Ele ordenou que circuncidassem os meninos no oitavo dia da vida.Os incircuncisos não participavam dessas promessas de Deus. Não faziam parte do povo escolhido, Israel. Homens de outras nações passavam a participar dos privilégios dos judeus somente quando eram circuncidados (veja Êxodo 12:48). Judeus que negligenciavam este mandamento do Senhor não podiam participar das festas especiais que Deus lhes deu. Um exemplo que mostra a importância da circuncisão se encontra em Josué capítulo 5. Depois da peregrinação no deserto, o povo chegou à terra prometida. Mas, eles não haviam praticado a circuncisão no caminho (5:7). Era necessário fazer a circuncisão de todos os machos (5:8). Somente depois de cumprir esta ordem, eles podiam celebrar a Páscoa, a festa que os lembrou da salvação da nação das mãos dos egípcios (5:10). No dia seguinte, começaram a comer do fruto da terra prometida (5:11-12) e, logo em seguida, começaram a conquistar a terra. Estes dois fatos, ligados especificamente às promessas da nação e da terra, reforçam o significado original da circuncisão.Na igreja primitiva, houve controvérsias acirradas sobre a circuncisão. Alguns judeus convertidos a Cristo acharam que todos os homens teriam que ser circuncidados para participarem das bênçãos em Cristo. Mas Deus nunca disse que as bênçãos espirituais em Cristo dependeriam da circuncisão da carne. Paulo e outros resistiram a essas idéias, e pregaram a salvação pela fé para todos, judeus e gentios (Romanos 3:28-30; Gálatas 5:2,6,11; Colossenses 3:11).Embora a circuncisão não tenha valor religioso hoje, ainda aprendemos lições importantes das instruções dadas aos judeus. No ato da circuncisão, eles se tornaram distintos, e Deus removeu o “opróbrio” do pecado (Josué 5:9). Hoje, ele remove o pecado na circuncisão espiritual quando somos sepultados com Cristo no batismo (Colossenses 2:11-13). “Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no Espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne” (Filipenses 3:3). “Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura” (Gálatas 6:15).

 

BRIT MILÁ 

em hebraico: ברית מילה,

 

 

Pacto da Circuncisão no conceito Judaico

 

O Brit Milá é um pacto bi-direcional: o povo judeu compromete-se em cumprir as Leis Divinas e Deus toma conta dele e o protege. A circuncisão é o sinal do Pacto Divino com Avraham (Abrão) para tornar seus descendentes uma grande nação e lhes dar a Terra de Israel.Remover o prepúcio é um procedimento religioso e não médico. Precisa ser feito por um mohel (especialista treinado e atestado profissionalmente) competente e temente a Deus. Um mohel bem conceituado não só é um grande especialista no ato em si, como também entende completamente as implicações espirituais e os requisitos necessários para cumprir esta mitsvá adequadamente. Cabe ao pai a obrigação de introduzir a criança ao Pacto de Avraham. Caso ele não o fizer, a obrigação recai sobre o próprio filho quando ele completar Bar-Mitsvá ao 13 anos de idade.Na cultura judaica, o prepúcio é considerado um obstáculo à santidade. Misticamente, é um bloqueio ao crescimento e entendimento espiritual, enquanto fisicamente, a remoção da orlá (barreira em hebraico) é um lembrete para resguardar energias e paixões para um propósito muito mais nobre e elevado (garantindo a própria continuidade), ao invés de se deixar arrastar por desejos apaixonados que podem degradar e causar a ruína do homem. A meta é ser como Deus, usando o físico para objetivos mais elevados. Da mesma forma que Deus deu a habilidade de aperfeiçoar o lado físico – os corpos – removendo o prepúcio, também deu a habilidade de aperfeiçoar o lado espiritual, a personalidade e o comportamento das pessoas.                                                                                                                                                                

                                                                                                                                                           Compilado por Pr. Luiz Antonio.