Babel hoje – Desenvolvimento ou revolução contra Deus?

 Pr Oliveira

Babel hoje – Desenvolvimento ou revolução contra Deus?

 Gênesis 11.0 4 Disseram mais: Eia, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume toque no céu e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.

É considerável o número dos querem tocar o Céu! O homem sempre foi teimoso quando a questão envolve obediência a Deus. Não havia problema algum no desejo de construir uma torre para nela representar tecnologia, cultura ou qualquer outro fim social. Mas em Babel a coisa não foi bem assim. Babel é o símbolo da arrogância humana e da soberba contra Deus sua palavra. Para que isso fique mais claro devo lembrar o leitor sobre a palavra do Senhor e sobre a mensagem nela contida que determinava exatamente o contrário. Perceba que tudo que contraria a verdade necessariamente pressupõe a mentira. Babel incorpora ideais anti Deus. Lançarei mão do texto sagrado para garantir que todos vão ler, porque pode ser que o Diabo os impeçam de fazê-lo.

Gênesis 1. 28 “Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a”.

Perceba que a idéia de construir uma torre incluía a de não se espalhar sobre a terra, exatamente em oposição à ordem divina de encher a Terra. O agravante é ainda acrescido ao de construir um nome que fosse capaz de suplantar qualquer autoridade que não viesse de um comando presencial. O nome incorpora a totalidade de um ser, e por certo a idéia de um superior ao que deu o primeiro comando: Deus. Assim, o homem mortal se declara publicamente contra o comando do seu criador e se recusa definitivamente obedecer-lhe a palavra. Os Babelianos encontram na modernidade autêntica representação. Pois nossa geração tem se mostrado tal e qual. Se vocês acham que estou exagerando prestem atenção que até nos louvores apresentados a Deus encontramos a palavra “até tocar o Céu”. A disputa do espaço de engrandecimento do nome está em toda parte. Tanto na sociedade profana como na cristã. O atrevimento e tal que nem mesmo os que se dizem servos de Deus aceitam mais ser como Jesus Cristo foi. Alegam que ele foi pobre para que o homem fosse rico. Esqueceram-se de que este enriquecimento não é necessariamente monetário. Porque Ele disse: “os pobres sempre os tereis convosco”. Outra vez “bem aventurados os pobres. Marcos 14.07”. Acredito que o povo cristão não está preparado para enfrentar uma perseguição tal qual ocorreu na idade média. Ainda estamos comprometidos com o EU da arrogância! Cada um de nós está construindo a sua torre e nela gravando o próprio nome mesmo que a tinta seja o sangue até mesmo de um irmão. O Apóstolo Paulo advertia seus concidadãos a que se despertassem do sono que dormiam entre os que já tinham provado a morte do espírito antes mesmo da do corpo. (Efésios 5. 14 Pelo que diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará).

 A construção do nome.

 Deus quando nos chamou para a sua graça, não recusou dar-nos o que de direito. Pelo contrario Ele mesmo promete que aos que permanecerem fieis até o fim receberão um novo nome o qual ninguém conhece a não ser aquele que o recebe. (Apocalipse 2.17). Quando fez a chamada a Abraão o pai da fé, o quinhão do patriarca incluía o engrandecimento do nome, e a promessa de fazer dele uma benção (Gênesis 12.02). Se alguém tiver dúvidas de que o Senhor deseja que o nosso nome seja engrandecido preste atenção na cena da pecadora que ungiu os pés de Jesus e a promessa que ela recebeu do mestre:  Em verdade vos digo que, em todas as partes do mundo onde este evangelho for pregado, também o que ela fez será contado para sua memória. (Marcos 14.9). Aos amantes de babel dos tempos modernos sejam advertidos: Deus não tem o culpado por inocente. É Ele quem constrói a história do nosso nome porque toda grandeza inclui a idéia de algo maior e Ele é a grandeza da qual não se pode pensar nada maior.

Portanto engrandecei-o comigo e demos-lhe glória porque grande e tremendo é o seu nome. Em Babel Ele confunde a língua para espalhar, mas, em pentecoste Ele o faz para nos ajuntar. Os céus dos céus pertencem a Ele, mas, a Terra a deu aos filhos dos homens. Louvado seja o nome do Senhor que fez os Céus e a Terra. Amém.    

Pr. J. A. de Oliveira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s